quinta-feira, 21 de junho de 2007

Privatização da ana

É curiosa a forma como se conseguiu gastar a paciência das pessoas na discussão da localização do aeroporto sem tocar no aspecto mais importante de toda a operação. De monopólio estatal a monopólio privado, a ana (enorme fonte de receita pública) passará incólume ao debate.
É inconsequente teorizar sobre a localização que reúne mais economias de escala em função do custo, se depois nos deparamos com uma empresa que, endividada até ao tutano por via do contrato, terá que rentabilizar todo o investimento numa lógica monopolística. E nessa lógica, terá que inflaccionar os preços.
A gratuitidade da operação que nos dá um aeroporto competitivo é meramente ilusória. Se o Estado quiser um aeroporto competitivo nestes moldes, terá que subsidiar para abater aos preços naturalmente inflaccionados, e a isto acresce ainda a fatia de 600 milhões de euros com que entra na construção (170 dos quais financiados pela União Europeia).
A factura somos sempre nós quem a paga, sejamos nós os contribuintes que subsidiaram o custo que um monopólio privado tem para a competição, sejamos nós os utentes do aeroporto, e aí pagamos a rentabilização que os futuros accionistas têm que dar ao investimento.

10 comentários:

Diogo disse...

Não é por acaso que os grandes interesses económicos investiram tanto, mediaticamente e financeiramente no «engenheiro». Agora vêm as contrapartidas.

Anónimo disse...

O documentário desmonta uma série de mentiras que Chávez hoje usa para justificar a censura contra a RCTV.
Há análises, depoimentos, imagens e datas que provam que NUNCA houve golpe de estado.
É bom estar atento para ver com a esquerda promove a mentira para justificar actos futuros, censuras e perseguições.

Assistam!

http://video.google.com/videoplay?docid=-3378761249364089950

Anónimo disse...

Nesta entrevista de 1998 (05 de dezembro), às vésperas das eleições que o levaram ao poder, Chavez mente três vezes:

1. Disse que entregaria o poder depois de cinco anos ("até antes")
2. Não nacionalizaria nenhuma empresa privada ("ao contrário, buscaria apoio das empresas privadas nacionais e estrangeiras para desenvolver a Venezuela")
3. Não cassaria nenhuma concessão de canal de televisão privado ("O governo já possui o canal 8, não há necessidade de mais canais estatais")

Aqui o video:
http://www.univision.com/content/video.jhtml?cid=1209353&channelName=Videos&_requestid=213237

Clavis disse...

Bem observado. E assim fica exposta a hipocrisia destes "privados" que estão sempre à espera de um qualquer subsídio estatal para compensar as suas ineficiências... Privatizar, não é subsidiar os privados, ao contrário do que nos querem fazer crer...

contradicoes disse...

Muito bem observado caro rouxinol. Efectivamente o novo aeroporto vao acabar por se traduzir na privatização da ANA que sendo rentável para o Estado vai passar para as mãos de privados. Já faz lembrar o negócio das auto-estradas, que foram construídas por fundos comunitários e dinheiros do Estado e depois a sua exploração foi concessionada ao Grupo Melo, que se limita aqui e ali a fazer umas obras de beneficiação mas a sacar à grande.

Opintas/Bernardo Kolbl disse...

Não subscrevendo tudo gostei muito de conhecer.
Vou linkar.
Boa noite.

Opintas/Bernardo Kolbl disse...

Somos sempre nós quem paga.
Um bom fim de semana e um abraço.

Luís disse...

;-)

Diogo disse...

Durão Barroso - um indivíduo com as mãos sujas de sangue

Anónimo disse...

Solar eneragy is the future for the planet.
[url=http://www.solarcourses.org/]solar courses[/url]